Assessoria de Imprensa

Para Ângela Portela, reforma trabalhista é um pacote de maldades do tempo medieval

“A reforma trabalhista proposta pelo governo Temer ao Congresso Nacional, é um pacote de maldades que nos faz retornar ao tempo do servilismo medieval”. Afirmou a senadora Ângela Portela, nesta quarta-feira (05), na tribuna do Senado, elencando boa parte dos pontos da proposta, que considera “a mais cruel e injusta” com os trabalhadores brasileiros, já apresentada ao Parlamento.

_ De uma tacada só, a proposta de Temer precariza as relações de trabalho com a terceirização, cria a figura do autônomo que presta serviços contínuos e com exclusividade para uma empresa, defende a prevalência do negociado sobre o legislado e prejudica até mesmo os pequenos empresários”, avaliou.

Para a senadora, o governo Temer não tem condições morais e éticas de propor e muito menos de impor uma reforma trabalhista, que “fere de morte as relações do trabalho” no Brasil.

_ É impressionante como um governo que chafurda na lama da corrupção, com diversos de seus apoiadores recolhidos ao cárcere, tenha a desfaçatez de propor ao Congresso Nacional, uma reforma trabalhista “que rasga a Consolidação das Leis do Trabalho”, criticou a parlamentar.