Sem categoria

Ângela Portela defende demissão de Pedro Parente e pede gás e gasolina mais baratos

A senadora Ângela Portela (PDT-RR) defendeu nesta quarta-feira, 30, da tribuna do Plenário do Senado, a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, responsável pela política de preços que levou à greve dos caminhoneiros da última semana.

“Nós precisamos da empresa bem com suas contas. Mas a Petrobras foi criada para servir ao povo e não para o povo servir a ela. Entre o interesse da Petrobras e o interesse do povo brasileiro, eu fico com o povo brasileiro”, disse a senadora.
A senadora classificou como “catastrófica” a forma como o governo federal, gerenciou a crise, que ainda não terminou – embora as reivindicações da categoria tenham sido atendidas, milhares de caminhoneiros continuam a tentar bloquear estradas, provocando escassez de combustíveis e desabastecimento de alimentos e outros produtos.

A senadora destacou que Temer cedeu às reivindicações dos grevistas – zerando a PIS/Cofins e a Cide sobre o óleo diesel, reduzindo a cobrança do pedágio para os caminhões e estabelecendo piso para o valor do frete -, mas não tomou nenhuma medida para reduzir os preços da botija de gás e do litro da gasolina.

“O gás de cozinha continua caro, a gasolina continua cara, mas o preço do diesel caiu, e os caminhoneiros foram atendidos. A população, por sua vez, continua vivendo com a falta de combustíveis, de gás de cozinha e de gêneros de primeira necessidade”, concluiu.