Assessoria de Imprensa

No 8 de Março, Ângela Portela cobra conclusão da Casa da Mulher Brasileira de Roraima

A senadora Ângela Portela (PDT/RR) marcou, há pouco, na tribuna do Senado, a passagem do Dia Internacional da Mulher, cobrando do Governo Federal a liberação o quanto antes da verba necessária para a aquisição do mobiliário da Casa da Mulher Brasileira de Roraima.

“Já se vão quase dois anos desde o término da estrutura física, iniciada e concluída pelo Governo do Estado. Porém, até agora nada de inauguração, porque falta o governo federal cumprir com sua responsabilidade de liberar a verba para a compra do mobiliário da casa”, criticou a senadora.

 Ao fazer sua cobrança, a parlamentar elencou uma série de problemas enfrentados, no dia a dia, pelas mulheres brasileiras, tais como a dificuldade de inserção delas no mercado de trabalho e a baixa participação das mulheres na política. Mas, elegeu a violência como um dos maiores desafios, mas que poderia ser consideravelmente reduzido, com a inauguração das Casas da Mulher nos Estados.

“_ Não tenho dúvida de que a criação da Casa da Mulher Brasileira poderá fortalecer o combate à violência de gênero no Brasil, especialmente em meu Estado, que é campeão de ocorrências de assassinatos de mulheres”, afirmou, destacando dados divulgados pela organização não governamental Human Rights Watch, revelando um crescimento de 139%, dos casos de homicídios de mulheres em Roraima, entre 2010 e 2015.

Sobre a Casa da Mulher Brasileira

Concebido no governo da Presidente Dilma Rousseff como parte integrante do Programa Mulher Viver Sem Violência, o projeto da Casa da Mulher Brasileira visa integrar todos os órgãos de enfretamento à violência contra a mulher, nas áreas de assistência jurídica, psicossocial e de saúde às vítimas e seus filhos, por meio de um trabalho realizado pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher do Tribunal de Justiça de Roraima, Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Defensoria Pública e Ministério Público. Até agora, só foram inauguradas as casas de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e de Brasília, no Distrito Federal.